quarta-feira, 13 de julho de 2016

DEFINIÇÕES ELEITORAIS NÃO SÃO ESTÓRIAS EM QUADRINHOS


Felipe Augusto tem um super-herói para chamar de seu - e eis que este entrou em cena para salvá-lo da distância que havia entre as conversas e a finalização de um acordo. O seu sogro Antonio Carlos, prefeito de Caraguatatuba, teria deixado de ser só o fiador. Isso tem um custo, imagino que devidamente calculado, político, diga-se. Antonio Carlos foi a Luizinho Faria e quase desagregou o grupo. Refez o caminho. 

Não é possível saber o que anda sendo combinado entre os candidatos a prefeito e vice, nem o que vem sendo prometido aos candidatos à vereança, mas, seja lá o que for, haverá a entrega? O MP e a Justiça Eleitoral estão com a lupa no processo e a tendência é a de que esse seja o mais judicializado. Fora isso, especialmente por ser um momento de crise, o cidadão busca gente de comprovada capacidade gestora.

Segundo a página do Folha do Litoral, houve um movimento em Caraguá para que um socorresse o discurso do outro; aliás, Felipe teria sido tratado como "o candidato da outra cidade". É o que diz a página. Antonio Carlos é experiente e conhece a exigência do eleitor, tem faro, portanto, tenta emprestar sua imagem a do genro, coisa de herói que precisa salvar, não importa a que preço, (linguagem figurativa, é claro).

As regras para o financiamento de campanha mudaram e feri-las é crime. Estima-se que a campanha majoritária em São Sebastião não será superior a R$ 900 mil, e para vereador será alguns trocados acima de R$ 40 mil. O limite legal é o de 70% sobre os maiores gastos declarados na última eleição. Convenhamos, não dá para crer em conversa que transgrida essa realidade. O voto é a kryptonita que desbanca a hipotética força de "promessas", porque eleição não é uma estória em quadrinhos.

Noves fora, Amilton, do PSB, que talhou seu caminho rumo a condição de ser indicado para vice de Felipe Augusto, fechou - e o anúncio foi feito sem pompas pelas redes sociais. O PSB tem dois vereadores - e consta que um subirá no palanque e outro não arredará o pé do chão. À ver. Mas, Amilton, escaldado, também teria flertado com o radialista Angelo Neto, onde teria pleiteado a mesma condição, ou seja, a de vice. Um pé lá e outro cá teria se dado quando Luizinho Faria foi colocado na prosa.

De qualquer forma, o tucano é o segundo a fechar uma composição prévia à Convenção partidária. Outro foi Juan Garcia, que engendrou primeiro que seus oponentes uma parceria com o Pastor Lucimar para ser seu vice. Eu escrevi sobre isso em 02/05/16, "As razões do Juan". Sobre os nomes que estão postos até o momento como pré-candidatos, falta o Wagner Teixeira apresentar seu vice. Consta que essa decisão está sendo costurada ainda porque há defecções do lado tucano e adesões neste grupo político de Wagner. À saber. 

Apesar da margem ser estreita, ainda há possibilidades de haver reviravoltas até o prazo limite das inscrições. Política é dinâmica.

É o jogo!
-
16h38min.    -     adelsonpimenta@ig.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário