segunda-feira, 14 de agosto de 2017

HEMODIÁLISE: CARAGUÁ BANCA O SERVIÇO PARA TODAS AS CIDADES


Creio que as intenções do ex-prefeito, Antonio Carlos da Silva​, tenham sido boas, mas ele errou. Ao municipalizar o tratamento de hemodiálise sem adotar os procedimentos administrativos necessários, ele sobrecarregou as finanças da Prefeitura de Caraguatatuba​. 

Se foi induzido ao erro por seu então secretário de Saúde, Dr. Juan Lambert​ é outro papo. Pacientes das quatro cidades do Litoral Norte são atendidos por esta empresa. Conversei com o Secretário Amauri Toledo​ (Saúde). 

Esse serviço era oferecido no município de São Sebastião por muitos anos, 100% custeado pelo Governo do Estado de São Paulo​. O custo mensal girava em torno de R$ 232 mil - sob contrato com a clínica do Dr Ivanir, mas o Estado cobria também o excedente, um custo variável porque a Clínica De Hemodiálise Inehdi​ sempre recebe demanda além do previsto. 

Ele me disse que à época em que o ex-prefeito tirou das mãos do Estado para as mãos do Município havia uma discussão sobre a qualidade da água e o prédio precisava de reparos, mas nada impossível de ser feito. 

Mas, em meados de junho de 2016, numa reunião da Diretoria Regional de Saúde - DRS, Caraguá sinalizou a intenção de municipalizar o serviço. O Estado aceitou, tirou o custo de seus cofres. 

Foi neste mesmo ano que foi assinado um contrato, nos mesmos moldes do Estado, municipalizando o atendimento. Metade dos pacientes eram caraguatatubenses. Em novembro a clínica foi inaugurada.

Não há um Consórcio Intermunicipal na Saúde para o custeio desses serviços porque era o Estado quem bancava, daí o erro nos procedimentos quando se municipalizou. O Estado lavou as mãos, o que é um erro, mas lhe foi conveniente. O ex-prefeito vacilou.

O custo deste mês é de R$ 380 mil, e não havia previsão orçamentária para esses serviços, assegura o executivo da pasta, tanto que já teve que suplementar este ano para suprir. A Câmara Municipal de Caraguatatuba​ acompanha tudo.

Os recursos são de uma mesma rubrica - destinada à manutenção da UPA, (que, aliás, é outra bomba relógio herdada pela atual gestão); Santa Casa e a INEHD. Hoje são atendidos 166 pacientes. O contrato é para 135, por isso o excedente.

Há um pedido para a Câmara Técnica do Ministério da Saúde​, que caiu em exigências. Há uma instrução para se fazer um novo credenciamento (todo processo). 

HEMODIÁLISE: CARAGUÁ BANCA O SERVIÇO PARA TODAS AS CIDADES

O Tribunal de Contas do Estado de São Paulo​ apontou irregularidades em todo processo coordenado pelo ex-prefeito, o que levou à abertura de um Processo Administrativo Interno pelo Governo Municipal. 

Só o aluguel do imóvel onde funciona a clínica custa R$ 29 mil por mês. 

A boa notícia disso tudo é: Apesar dos sucessivos erros do antecessor, o atual Prefeito Aguilar Junior​ garante o tratamento ao paciente e determinou a sua equipe que faça tudo o que for necessário e legal para que não haja riscos de descontinuidade.

Os cidadãos de todas as cidades continuam com o atendimento e quem paga é o contribuinte de Caraguatatuba.

O PSDB​, quando governava Caraguatatuba deixou uma conta ao sucessor do PMDB​. O PSDB sob Geraldo Geraldo Alckmin​ no Estado lavou as mãos. 

O PSDB SÃO SEBASTIÃO​, sob Felipe Augusto​, se aquieta, e ele que hoje é o chefe da Prefeitura de São Sebastião​, mas era o Secretário de Governo da cidade vizinha, onde seu sogro mandava - e ambos municipalizaram os serviços e geraram esse problema sobre as finanças municipais. 

É isso.
Espaço aberto às divergências.
-
00h  -  adelsonpimentarafael@gmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário