sábado, 11 de novembro de 2017

A VIDA NO HOSPITAL DE SÃO SEBASTIÃO NÃO ESTÁ FÁCIL DE SER PRESERVADA


No dia de ontem, sexta-feira, 10/11, o pau quebrou no Hospital de Clínicas de São Sebastião. Eu diria que a paciência do cidadão transbordou. Convenhamos, os médicos ficam reféns de uma situação como esta. Preservar a vida é seu dever, mas isso não acontece se as condições de diagnóstico rápido e correto não estiverem a sua disposição.

A doença não espera.

Entenda o Caso:
Ocorre que pacientes aguardavam pela realização de exames de ultrassonografia desde às 12h. O médico responsável chegou às 18h32min., que é quando se iniciou os atendimentos. 

Não é a primeira vez que isso acontece. 

Os relatos que tenho recebido me preocupam a ponto de fazer este registro. Havia, neste caso, oito pacientes forçosamente aguardando, não lhes deram outra opção. Desconfortadamente sentados em cadeiras espalhadas pelos corredores do Hospital via-se vindas do Pronto Socorro e também do Pronto Atendimento, além de pacientes internadas.  Algumas mulheres em situação de urgência, gestantes com sangramento, com fome, em jejum, com bexiga cheia, enfim, toda sorte de situações.

Isso é crise, é desumano.

Com a chegada do médico responsável, Dr Marco Antônio Gênova, que é Secretário de Saúde na Prefeitura de Ilhabela, houve um princípio de tumulto com algumas pacientes - no limite da dor e da irritação -  invadindo sua sala e um bate-boca foi iniciado. Ele próprio ficou exposto a uma situação que pode lhe fugir ao controle. 

O ouvidor do Hospital, o aposentado Sr. Carlos Púríssimo foi chamado para apaziguar. E teve trabalho. Digo mais: se continuar assim e uma UPP não for instalada entre a sala do médico e os pacientes na fila de espera, vai sair morte.

O atendimento se estendeu, em razão do atraso, até às 20h30min. 

Chamo a atenção para o fato de que o Dr Gênova dá expediente e reside em Ilhabela, logo, está sujeito as intempéries da meteorologia e das condições de navegação na travessia da balsa, o que pode forçá-lo e impedi-lo de cumprir com esse dever; portanto, imprescindível é que uma saída seja encontrada. 

Esse serviço já foi prestado anteriormente sem interrupções por 24 horas, o que hoje não acontece. 

Sabido que isso tem sido recorrente, importante é que a Direção do Hospital, por meio da Sra. Denise Passareli, venha à público esclarecer os motivos pelos quais isso tem acontecido. Ou o pensamento é o de se economizar na preservação da vida para se gastar em desapropriações com outra finalidade? 

E mais, a Diretora Técnica do Hospital, Dra. Luciana Rocha Paula Correia, dermatologista, que está nessa condição por escolha pessoal da Direção do Hospital, precisa dizer quais providências tem adotado para a solução do problema que já saiu da pele e está nos órgãos vitais do Hospital. Se é que tem feito algo nesse sentido. 

E, obviamente, o Conselho Municipal de Saúde precisa pautar o caso e investigar imediatamente. Há registros de casos inclusive de morte, por exemplo, de um bebê , segundo soube, que está sob investigação em Inquérito Judicial coordenado pelo MP. Ao fim saberemos se a falta de celeridade no exame prejudicou o atendimento. Há, pasmem, suspeição de que não seja um caso isolado.

A demora no exame prejudica o andamento do atendimento médico deixando à espera médicos cirurgiões, anestesistas, além de manter ocupado um leito que já deveria estar disponibilizado a outros pacientes. E, é claro, sem contar o transtorno psicológico da espera para o paciente.

Entende perfeitamente isso, perincipalmente as mães que sabem o que é não ter a segurança da sua gestação, sem saber se o bebê está vivo, se será submetida a um procedimento cirúrgico de urgência, por exemplo.

O Hospital está sob intervenção da Prefeitura de São Sebastião, logo, é também de sua responsabilidade a gestão desse setor vital à saúde pública municipal, portanto, o Prefeito Felipe Augusto, que governa sob Efeito Suspensivo em grau de recurso ao TRE por ter sido cassado pela Justiça Eleitoral de São Sebastião, também tem culpa no cartório.

Este blog está aberto às manifestações, especialmente a dos citados na postagem
-
19h53min.   -   adelsonpimentarafael@gmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário