segunda-feira, 13 de novembro de 2017

SAÚDE SEBASTIANENSE EM CRISE

Repercute muito a postagem que fiz relatando as queixas que recebi de usuárias dos serviços no Hospital de Clínicas de São Sebastião. A coisa está pior que imaginamos. 

Pinço alguns poucos comentários, mas sugiro que leiam todos e vejam as experiências trazidas ali por gente da vida real, gente que está vivenciando isso em seu dia-a-dia. 
Leia: https://www.facebook.com/pimentanapolitica/posts/845192085660969


É crise.

Luis Hermann, leitor, prontificou: "... tenho que esperar até 17 abril de 2018,  7 meses para uma biópsia de próstata, talvez eu já serei alimentos de bichos..."

Regina Márcia, leitora, escreveu: "Minha mãe com quase 66 anos está esperando desde maio a Secretaria de Saúde marcar a cirurgia que ela precisa fazer e até agora nada..."

Marcos Tenório, ex-Presidente da Câmara Municipal perguntou: "Alguém tinha dúvida de que isso ia acontecer? A Saúde era uma referência no Litoral..."

Michele Serena, leitora, relatou: "Essa doutora Luciana há 10 meses se recusou a atender minha irmã... em estado terminal de um câncer...teve que ir pro pronto Socorro... mesmo tendo convênio....minha irmã acabou falecendo pela doença claro...mas a decepção foi demais...."

Luciana Merola Monteiro, leitora, disse: "Tudo isso é uma vergonha ,já fiquei 4h só pra entrar na sala do médico e o mesmo mal olhou na minha cara... não tinha o medicamento que eu tinha que tomar e o eletrocardiograma que eu tinha que fazer levou quase uma hora, a própria enfermeira me disse com todas as letras que se eu tivesse tendo um infarto eu iria morrer pois só tinha um aparelho pro hospital todo e não podia pegar pois estava usando em outro lugar."

Moises Figueiredo, publisher do Portal Litoral Vale, recobra: "Esse serviço era prestado pela Ecorad...que sempre disponibilizou equipe para atendimento 24h..."

Lucélia Luh, leitora, anotou: "Minha bebê caiu da minha cama, chamei a SAMU, o próprio funcionário que estava na ambulância disse q ia levar minha filha para Caraguatatuba pq lá é melhor para criança a ao hospital de São Sebastião".

Sueli de Souza, leitora, contou:  "Estou esperando desde Julho para passar cirurgião e nada, nem a primeira consulta passei com ele porque falam que o centro cirúrgico ta interditado".

Hipólito Santana, Presidente do Siproem lembra o caso do Professor Rodrigo, "que teve sua CAT-Comunicado de Acidente de Trabalho negada...e que o ortopedista só foi ver a questão 20h depois do acidente..."

Carlinhos Leonardo, leitor, informou: "Cheguei às 07:40h da manhã com minha filha pra fazer esse exame tbm , e s
ó fui atendido as 12:45h..."

Maria Anjos, leitora, notificou: "... minha filha não perdeu a minha netinha, e também meu genro teve que fazer barulho porque não queriam fazer a cesárea ai começou atender melhor e a criança nasceu, mas, por pouco perdia..."

Após essa publicação já recebi diversos feedbacks de profissionais da área da Saúde, gente que trabalha dentro do Hospital me relatando diversas outras situações que nem fazia ideia estarem ocorrendo. Fora isso, há questões intrincadas sendo levadas ao MP, que já investiga um caso de óbito.

Estranho o fato de ninguém ter esclarecido oficialmente nada. O Hospital, como já disse, está sob intervenção da Prefeitura de São Sebastião, portanto, é de responsabilidade do Prefeito cassado, Felipe Augusto, determinar soluções. E espero que hajam, de verdade.

Consta também que há problemas sérios de relacionamento no trabalho entre os profissionais do meio e a gerência de Enfermagem. Estranho também o silêncio da Associação Médica. Apesar de o Dr Edson Cardim ser o diretor-proprietário da Ecorad, preside esta Associação, portanto, não tem o direito de ficar calado. 

Quero ouvir a todos, inclusive o MP, se este quiser falar. Do jeito que está é que não pode ficar. É preciso haver um basta.

À Câmara Municipal, penso eu, cabe a abertura de uma CEI para ouvir as pessoas, acessar documentos, tirar isso a limpo.
-
13h03min.  -  adelsonpimentarafael@gmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário