terça-feira, 6 de fevereiro de 2018

GEORGETA, LEITORA E TÉCNICA DA ÁREA, FALA SOBRE LIXÃO DA NOVA SÃO SEBASTIÃO


Não sou arauta, tá? Sou só uma aposentada que às vezes acha que deve contar histórias. 

Em 2004 EU fiz o Plano de Gerenciamento de Resíduos de Construção Civil de São Sebastião em atendimento à Resolução CONAMA 307. 

Esse plano que FIZ ouvindo os caçambeiros e transportadores e tentando ouvir engenheiros e construtores foi apresentado no Teatro Municipal, rendendo a mim uma moção de aplausos na Câmara. Desnecessária posto que trabalhar não é mérito para aplausos. 

A empresa Faber, em 2006, aproveitou esse plano e o integrou ao PRESS que tratava também de uma vasta gama de resíduos: portuários, públicos, especiais, volumosos, de serviços de saúde, etc...O PRESS foi engavetado pelo ex prefeito. 

Um ano de trabalho insano, desprezado.

Em 15/12/2017 a atual gestão, sob Felipe Augusto, abriu uma consulta pública para o que chamaram de 'Plano Municipal de Resíduos'. A consulta se encerrou no dia 15/01/2018. 

Interessante foi a época, o entre datas, exatamente quando nós, que moramos nessa cidade, votamos nessa cidade, trabalhamos nessa cidade, estamos assoberbados demais com a temporada e sem tempo para estudar o documento criado pela SEMAM. 

A equipe técnica que assina não é da área ou seja, as pessoas tentaram mas não conseguiram atender minimamente às exigências legais. Fizeram o que puderam, talvez a toque de bumbo, já que o MP já estava cobrando. 

Do lado de cá algumas pessoas do 'Coletivo Costa Viva' elaboraram sugestões (dei uns poucos pitacos...rsss) e encaminharam à SEMAM. Eu não faria melhor do que o feito por um jovem engenheiro que mora aqui na região da Costa Sul e não tem envolvimento político NENHUM. Não digo o nome pois não me sinto à vontade, já que o vi apenas uma vez. A Federação Pró Costa Atlântica apoiou esse documento e apresentou também suas sugestões.

Os dois documentos encaminhados pedem audiências públicas, pois estão entre as exigências da Politica Nacional de Resíduos. 

O Secretário-Adjunto me ligou no dia seguinte ao encerramento agradecendo as sugestões que mandei com o meu CPF, mas não tinha atentado ao precioso documento entregue pelo Coletivo. 

Não há desculpa para o descarte irregular de RSS. 

Lá em 2006 fiz o Plano de Resíduos de Serviços de Saúde pela Faber tomando como suporte as resoluções ANVISA pertinentes. E essas resoluções não mudaram quase nada. Ou seja, uma simples consulta a um Sisleg e um refazimento do diagnóstico já resolve o bagunça. E um diagnóstico envolve avaliar a situação dos resíduos gerados por todas unidades de atendimento à saúde humana e animal, públicas e particulares. De cabo a rabo. Isso eu fiz lá no passado e vi virar pó.

Antes de ontem tomei vacina aqui na Praça da Alegria. A enfermeira usou três seringas e três vacinas para aplicar uma. As seringas quebravam ao furar o frasco da vacina. Seringas Tabajara.... 

Perguntei a ela que destino teria aquela caixa amarela onde jogava as seringas e frascos ela disse que seria incinerada. Mas ela não tinha muita certeza não....
Então fica a dica. 
Vacinas com vírus mortos ou atenuados devem ser autoclavadas, assim como agulhas, bisturis e outros pérfuros. Isso é ANVISA. Se a Prefeitura quisesse gastar nosso dinheiro com parcimônia, teria aqui mesmo uma boa autoclave para essas coisas. Autoclavando vira lixo comum, menos contaminado do que papel higiênico, absorventes, fraldas e curativos domésticos. Mandar para outra cidade é caro e desnecessário.

Mas aí já é outra história.

O que eu lamento é que andamos pra trás.
-
16h20min.  -  adelsonpimentarafael@gmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário