quarta-feira, 14 de março de 2018

À VENDA, SÃO SEBASTIÃO VAI PAGAR R$ 36 MILHÕES PARA CAPINA DE MATO



É macuco no embornal, ou, em outras palavras, esse Edital são favas contadas? 

Alô Ministério Público do Estado de São Paulo, Ministério Público de Contas do Estado de São Paulo, Tribunal de Contas do Estado de São Paulo e Tribunal de Justiça de São Paulo

Entre outras aberrações, a Prefeitura de São Sebastião acaba de lançar um Edital (e já falei de vários outros editais aqui, muitos dos quais foram suspensos pelo TCE ou pelo próprio Governo), destinando, pasmem: R$ 36 milhões para serviços de capina, varrição, limpeza de córregos e afins.

Normalmente esses serviços são executados pelo próprio Governo. Vide aí o secretário Tota Aniceto fazendo a tal da "zeladoria", há propaganda aos bocados na redes sociais. O que houve?

Além disso, há o PEAD; há o funcionalismo que cuida disso e há contrato com as empresas Ecopav, algo em torno de R$ 17 milhões (resíduos sólidos e limpeza) e a Unidui (caminhões e maquinários). O que justifica esse novo Edital milionário terceirizando esses serviços que continuarão também sendo feitos pelo Governo? Quem garantirá a idoneidade dessas medições? Como? 

Esta é uma crítica "emergencial"; tal qual os serviços ainda sob medições suspeitas que deverão ser assinadas por gente de confiança pessoal do Prefeito até hoje dia 14. Creia, a cara de pau dessa gente é tanta que ontem, dia 13/03, ano-luz depois da chuva, ainda tinha caminhão da empresa Ideal Mineração lavando a Praça da Matriz no Centro da cidade, sem "emergência" alguma. 

O que é que anda tão sujo de fato? As ruas e praças? Não estou certo disso.

Eu me confesso abismado com a gestão tucana de Felipe Augusto em São Sebastião. 

Trata-se de um Governo custoso ao erário, entreguista (eu previ isso na análise do seu Plano ainda na campanha eleitoral), perdulário e supérfluo, ao gosto dos "amigos do rei". E a coisa vai além do público. Mas, o papel de transferir o que a Prefeitura de São Sebastião pode fazer para empreiteiras resolver é questionável, no mínimo.

A sociedade é tratada à revelia. 

Conte nos dedos quantas audiências públicas realizou essa Administração Municipal? O site e o sistema (software novo, ao custo de R$ 2 milhões, da empresa IIBrasil Inteligência e Informação Ltda) vive fora do ar, desatualizado. Transparência zero. 

Um Governo que age no escuro - e que quer taxar o cidadão ao fazer PPP para iluminação pública. Essa taxa está extinta desde Ernane Primazzi

Até o Plano Diretor já foi à votação da Câmara Municipal de São Sebastião, em tramitação suspensa após a postagem deste blog, sem que nenhuma audiência pública tenha sido realizada em qualquer bairro dessa cidade.

Há casos de Prefeitos mais enrolados que cabelos cacheados. É o caso de São Sebastião?

O Governo é entreguista. 

Está substituindo as ações primárias da Administração Municipal repassando para empresas terceirizadas. É quase uma superposição de serviços feitos pela Prefeitura. Entre outras coisas, é preciso saber se o trabalho feito pelos servidores não estará indo para medições da empresa terceirizada.

Quem garante que a empresa não receberá por aquilo que foi executado pelo servidor de carreira? O PSDB SÃO SEBASTIÃO está promovendo um verdadeiro desmonte da máquina pública para repassar dinheiro para as empreiteiras. 

Essa é a sua política: São Sebastião à venda.

Em respeito aos que defendem o interesse público, abro divergência em relação ao modus operandi desse Prefeito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário