sábado, 24 de março de 2018

EM CARAGUÁ HÁ UMA DISPUTA PELA NARRATIVA, MAS NOCAUTE SÓ COM DOCUMENTOS


Eu ouvi a entrevista do Prefeito Aguilar Junior na rádio Caraguá FM. É sobre essa participação que o ex-prefeito Antonio Carlos contesta os números apresentados. 

A discussão entre ambos, verbalizada por canais distintos, é mais que um tira-gosto. É providencial. Há divergência.  Eu gosto disso, do debate sobre dados, não sobre pessoas.  Este é o ponto alto da coisa toda: estão discutindo a coisa pública. 

Mas, com todo respeito a ambos, não sou obrigado a crer no que dizem. Com base no que foi colocado, vou começar agora uma pesquisa nos documentos oficiais, relatórios, prestação de contas, desembolso financeiro e tal. A verdade reside ali. E ainda esta semana quero acurar as coisas.

No esclarecimento da Prefeitura de Caraguatatuba, portanto oficial, consta que dos R$ 60 milhões anunciados pelo ex-prefeito como deixados em caixa, cerca de R$ 29 milhões eram de contas vinculadas, ou seja, com destinação que sequer compõe o percentual de remanejamento, nem pode compor um Fundo. 

Neste caso, à saber quem teve o privilégio da garantia do pagamento do ex sobre a gestão do atual. E o por quê disso. Pode haver plausibilidade, e quero crer que haja mesmo. Mas, gozo do benefício da dúvida. 

Diz a Nota Oficial ainda: Outros R$ 19 milhões foram para "restos a pagar". Quem sabe o que isso significa levanta a mão. Eu explico: são contratações feitas pelo ex-prefeito, com a conta deixada para o atual pagar. À ver também o que está incluído nessa conta, chamada por "rp". Há casos sérios e há também outros que servem para engessar o novo governante e/ou para que alguém seja beneficiado. 

... "e R$ 5 milhões direcionados para pagamento de uma multa ambiental recebida pela antiga gestão".  Opa, como assim, que multa é essa? Por que foi contraída? Não são simplesmente os números, mas o que eles de fato representam. É isso que quero saber em detalhes.

Finalmente: "Além disso, a antiga gestão deixou dividas com a previdência social, PASEP e o déficit do Caraguá Prev (Instituto de Previdência dos Servidores Municipais) chegou a R$ 164,5 milhões." Ouso em dizer que este é um dos mais graves e intricados problemas, e não basta dizer que houve, tem que explicar como e por que?

"Esse déficit já começou a ser pago e ainda vai durar 35 anos pra ser resolvido. Graças a um plano de amortização. A assessoria técnica do Tribunal de Contas recomendou a reprovação das contas do ex-prefeito". É o que consta oficialmente.

Vou, como disse, analisar tudo o que for possível e farei uma atualização neste espaço. A construção e a competitividade pela narrativa é boa, tenho apreço, mas, a luta pelo discurso se vence com o nocaute - e este só vem por meio de documentos.
-
22h25min.   -    adelsonpimentarafael@gmail.com


Nenhum comentário:

Postar um comentário