terça-feira, 24 de julho de 2018

ADIANTA PERGUNTAR LÁ NO POSTO IPIRANGA?




Acompanhado de algumas pessoas, entre as quais, o vereador Ernaninho Primazzi, assim como o vereador Gleivison Gaspar, denunciamos em vídeo. O G-5 não hesitou. A famosa Rua da Praia em São Sebastião ganhou uma bomba ilegal de combustível diesel. Um crime chapa branca, cometido pela Prefeitura de São Sebastião. 

Assista a denúncia: https://goo.gl/Lbgioe

Não constava no projeto original haver um posto de combustível no local. Não há, nem houve, qualquer pedido de licenciamento nesse sentido. 

Os Secretários municipais Tota Aninceto e Auracy Mansano são as pessoas que deveriam estar respondendo pelo crime cometido na área do Município. Mas, o PSDB faz parecer que a Justiça lhe é favorável e tudo passa em branco, o tempo é esticado e sempre tem uma decisão que mantém as coisas como estão, ao gosto do prefeito. Tem sido assim.

Mas, a Câmara de São Sebastião pode mudar essa história. O papel destinado aos vereadores é fiscalizar, e também investigar. Há um clamor pela instauração de Comissão Especial de Investigação - CEI. Antes do recesso já haviam vereadores falando sobre estudos sendo feitos nesse sentido. Se confirmada a suspeita de pedalada fiscal, até o pedido de impeachment deverá ser considerado.

As fotos registram a retirada da bomba de diesel da Rua da Praia, que ocorreu logo depois que denunciei o caso. Um ambientalista chamado Alexandre Porfírio, que preside o partido Rede provisório na cidade, chegou a menosprezar a denúncia. Pouco depois foi nomeado Adjunto de Meio Ambiente deste Governo. 

O que foi deflagrado a partir disso é de espantar. 

A direção da empresa Unyduy disse que ficou sem receber e levou embora caminhões e demais equipamentos que estavam a serviço da Administração Municipal. Um parênteses aqui: (Esses caminhões alugados foram colocados no início do Governo Felipe Augusto na Rua da Praia, como fossem próprios do Município e novos). Desmentido, o Governo local refez a Nota Oficial.

Mas, à saber: a retirada dos caminhões da cidade não aconteceu sem que antes o diretor da empresa tivesse se reunido com os funcionários para explicar as razões pelas quais estava saindo e foi quando teria chamado o Prefeito de "moleque", entre outras coisas, segundo fontes que estiveram na reunião.

MDB de Juan Garcia formulou denúncia ao Ministério Público. Todavia, há algo mais grave ainda.  

A empresa UNYDUY após receber em cerca de 04 (quatro) meses o total do contratado para 01 (um) ano e ter retirado ou entregue todos os equipamentos, incluso com desfazimento de contratação de pessoal retorna ao município em menos de 50 (cinquenta) dias com novo contrato por mais 12 (doze) meses conforme publicado no Diário Oficial Eletrônico do Município (DOEM) n° 286 de 12/07/2018

Esta nova contratação por mais 12 (doze) meses ainda é em função do Pregão Presencial 025/17, apontado nas denúncias anteriores, no valor de R$ 1.271.797,50 (Um milhão duzentos e setenta e um mil, setecentos e noventa e sete reais e cinquenta centavos).  

Do mesmo pregão presencial 025/17 é contratada também a empresa JT SANEAMENTO EIRELLI-EPP, com o mesmo objeto: locação de caminhões e máquinas pesadas, com motorista/operador, combustível e manutenção, também pelo prazo de 12 (doze) meses no valor de R$ 185.732,00 (cento e oitenta e cinco mil, setecentos e trinta e dois reais). 

Desta forma temos agora um total de R$ 1.457.529,50 (Um milhão quatrocentos e cinquenta e sete mil, quinhentos e vinte nove reais e cinquenta centavos), nestas duas contratações com o mesmo objeto, que somados aos R$ 5.237.471,25 (cinco milhões duzentos e trinta e sete mil, quatrocentos e setenta e um reais e vinte e cinco centavos) pagos quando da primeira contratação, em menos de quatro meses, perfazem um total de R$ 6.695.000,75 (seis milhões, seiscentos e noventa e cinco mil reais e setenta e cinco centavos).

Não sei dizer a que interesse atende tais contratações, honestamente.

O Tribunal de Contas está pedindo explicação dessa licitação. O MP de Contas que não descuide. E espero que não esteja aparelhado partidariamente.
Leia o documento: 
https://goo.gl/yE7o5d

Com a conversa de que "não tem dinheiro", o Prefeito tenta justificar a falta de investimentos na cidade e discursa para o Sindserv sobre falta de reajuste aos servidores. Faz isso ao mesmo tempo em que entrou com Agravo no TJ/SP para manter os nomeados em cargos comissionados dizendo que os funcionários de carreira não são da confiança do Governo.

Todos a serviço da campanha da primeira-dama, Michelli Venezianni. Seria o típico financiamento público de campanha? 

Olha, para quem coloca bomba de combustível sem autorizações do órgão ambiental e da ANP na Rua da Praia, e retira sem cerimônia depois de uma denúncia para ocultar o crime, é capaz de qualquer coisa. Eu não tenho as respostas; mas, quem sabe alguém as tenha lá no Posto Ipiranga.

Nenhum comentário:

Postar um comentário