sábado, 12 de agosto de 2017

ÍNDICE FIRJAN OPÕE DISCURSO DE FELIPE AOS DADOS DE ERNANE

Pós-cassação do mandato do prefeito Felipe Augusto e os seus, em contagem regressiva para o Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo se pronunciar, a semana sebastianense fecha com com uma incógnita sobre a gestão pública, e os acordes políticos em alta. 

Do entrevero entre os expoentes da Câmara Municipal de São Sebastião Oficial, vereadores Reinaldinho Moreira e Gleivison Gaspar ao recuo tático do Governo - sob o medo da desaprovação - sobre a proposta de criação de um Fundo Garantidor para as PPPs; a pá de cal: o Índice Firjan (https://goo.gl/R3qdfN) referente ao ano de 2016.

O Sistema FIRJAN analisa os municípios com base em cinco indicadores: receita própria, gastos com pessoal, investimentos, liquidez e custo de vida. As notas variam de 0 a 1. Publicado neste ano, 2017, 85,9% dos municípios apresentaram situação fiscal difícil ou crítica em 2016.

Conforme reporta o portal de notícias Litoral Vale, o município de São Sebastião apresentou o melhor resultado da RMVale-LN e a 4° melhor do Estado de São Paulo, com um forte avanço no indicador IFGF Receita Própria. A cidade apresentou conceito "A" em quatro dos 6 indicadores apresentados, com destaque para as notas máximas no IFGF Liquidez e IFGF Custo da Dívida.

Sob o silêncio do Governo que tem exportado um discurso oficial dúbio de crise e de bonança ao mesmo tempo; ouviu-se a voz do ex-prefeito Ernane Primazzi em sua conta no Facebbok e no site do Psc Sãosebastião. Os dados lhe são favoráveis, atestam sua gestão fiscal e ele lembra sobre obras de convênios que foram paralisadas pela atual gestão - o que trará prejuízos pela descontinuidade dos serviços, sobre os investimentos e quiçá até obrigue a devolução de recursos.

Não custa lembrar que Felipe Augusto estancou tudo, sustou cheques, pessoas foram demitidas, a UPA até hoje com as portas fechadas, acusou déficit - chamando de "rombo" sobre o FAPS, e nada restou justificado, provado, enquanto as obras permanecem paradas e os prazos de medições obrigatórias expirando. Um caos administrativo.

E tem mais, licitações da Prefeitura de São Sebastião que tem sido suspensas pela Tribunal de Contas do Estado de São Paulo; medidas administrativas desfeitas pelo Tribunal de Justiça de São Paulo; renúncia de sucumbência sobre direito de procuradores, enfim, uma enxurrada de coisas culminando agora com a tentativa de PPPs.

Toda essa fricção governamental em meio a um mandato CASSADO e sob recurso, além, é claro, de um edital mais recente de R$ 27 milhões para reforma de escolas, segundo consta. Sem falar nas especulações que trazem prejuízos à população - criadas com a conversa extraoficial de desapropriações, vocalizadas pelo prefeito em seu dia a dia quando dá plantão na cidade.

Ernane Primazzi comemora os dados do Sistema FIRJAN, considerando, por óbvio, que enfrentou o período mais duro da recessão econômica do país, quando também não aliviou sobre a disputa em relação aos débitos de IPTU da Petrobras / Transpetro, recursos estes que caíram no colo do atual prefeito, entre outras coisas. 

Mais que a ciência do "achismo" e a engenharia do "boato" são os índices, as amostragens oficiais que dizem sobre as coisas. E olha que foi uma gestão sob crítica, longe de ser perfeita. Em razão disso, o Índice Firjan opõe o discurso do atual prefeito em relação aos dados referentes a gestão do antecessor.

É o que temos em relação ao caso.
O resto é bazar da pechincha do jogo político.
-
10h20min.  -  adelsonpimentarafael@gmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário